dafabet

Capa do Álbum: dafabet
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
dafabet
Ícone seta para a esquerdaVeja todas as Notícias.

Hezbollah trabalha para conter grandes perdas em confrontos com Israel, segundo fontes

Placeholder - loading - Funeral de membro do Hezbollah em Baalbek 23/10/2023 REUTERS/Amr Alfiky
Funeral de membro do Hezbollah em Baalbek 23/10/2023 REUTERS/Amr Alfiky

Publicada em  

Por Laila Bassam e Tom Perry

BEIRUTE (Reuters) - Com dezenas de combatentes do Hezbollah mortos em três semanas de confrontos na fronteira com Israel, o grupo libanês está trabalhando para conter suas perdas, enquanto se prepara para a possibilidade de um conflito prolongado, disseram três fontes familiarizadas com suas ideias.

O grupo apoiado pelo Irã perdeu 47 combatentes em ataques israelenses na fronteira do Líbano desde que seu aliado palestino Hamas e Israel entraram em guerra em 7 de outubro - cerca de um quinto do número de mortos em uma guerra em grande escala entre o Hezbollah e Israel em 2006.

Com a maioria de seus combatentes mortos em ataques de drones israelenses, o Hezbollah revelou sua capacidade de mísseis terra-ar pela primeira vez, declarando no domingo que derrubou um drone israelense. Os mísseis fazem parte de um arsenal cada vez mais potente.

Os militares israelenses não comentaram sobre o incidente com o drone relatado no domingo. Mas Israel disse no sábado que interceptou um míssil terra-ar disparado do Líbano contra um de seus drones e que respondeu atacando o local de lançamento.

Uma das fontes familiarizadas com o pensamento do Hezbollah disse à Reuters que o uso de mísseis antiaéreos foi uma das várias medidas tomadas pelo grupo muçulmano xiita para reduzir suas perdas e combater os drones israelenses, que têm abatido seus combatentes no terreno rochoso e nos campos ao longo da fronteira.

O Hezbollah tomou 'providências para reduzir o número de mártires', afirmou a fonte, sem fornecer mais detalhes.

O líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, deve discursar na sexta-feira, no que será seu primeiro discurso desde o início da guerra entre Israel e Hamas.

Desde o início do conflito em Gaza, os ataques do Hezbollah têm sido calibrados para conter os confrontos na zona de fronteira, mesmo que tenha indicado que está pronto para uma guerra total, se necessário, segundo fontes familiarizadas com seu pensamento.

Israel, que está travando uma guerra na Faixa de Gaza que, segundo ele, tem como objetivo destruir o Hamas, disse que não tem interesse em um conflito na fronteira norte com o Líbano, onde, até o momento, sete de seus soldados foram mortos.

'Espero que consigamos manter a tranquilidade nessa frente', disse o ministro da Defesa israelense, Yoav Gallant, em uma coletiva, acrescentando que acreditava que as forças de defesa de Israel e suas ações em Gaza haviam dissuadido o Hezbollah até agora.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou que Israel desencadearia uma devastação no Líbano se a guerra começasse.

FORÇA FORMIDÁVEL

O Hezbollah, o mais temível aliado iraniano no 'Eixo de Resistência' de Teerã, há muito tempo afirma ter expandido seu arsenal desde 2006 e alertou Israel de que suas forças representam uma ameaça mais potente do que antes. Diz que seu arsenal agora inclui drones e foguetes que podem atingir todas as partes de Israel.

Em confrontos na fronteira desde 7 de outubro, o Hamas, que também tem agentes no Líbano, e uma facção islâmica sunita libanesa, a Jama'a Islamiya, dispararam foguetes do sul do Líbano contra Israel.

O próprio Hezbollah se absteve de disparar foguetes, como os Katyushas não guiados e outros que podem voar profundamente no território israelense, uma medida que poderia provocar uma escalada.

Em vez disso, seus combatentes têm disparado contra alvos visíveis na fronteira com Israel, usando armas como os mísseis guiados antitanque Kornet, uma arma que o grupo usou amplamente em 2006, disseram as três fontes.

O canal de televisão do Hezbollah, Al-Manar, tem reproduzido regularmente imagens dos últimos confrontos, mostrando o que diz serem ataques a instalações e posições militares israelenses visíveis do outro lado da fronteira.

Embora as táticas do Hezbollah até agora tenham ajudado a conter o conflito, os ataques significam que seus combatentes precisam estar perto da fronteira, o que os torna mais vulneráveis aos militares israelenses.

As fontes disseram que alguns combatentes também subestimaram a ameaça dos drones depois de anos de combate na Síria, onde lutaram contra grupos insurgentes sem nada parecido com o equipamento militar israelense. O Hezbollah desempenhou um papel decisivo ao ajudar o presidente Bashar al-Assad a derrotar os insurgentes sírios.

'A superioridade técnica dos drones israelenses está fazendo com que o Hezbollah pague o preço desse número de combatentes', disse Nabil Boumonsef, editor-chefe adjunto do jornal Annahar, do Líbano, em referência ao grande número de mortos do Hezbollah.

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

  1. Home
  2. noticias
  3. hezbollah trabalha para …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.

dafabet Mapa do site